Cênicas | Crítica da Crítica


Crítica: crise: clichês

junho de 2018

Edição: 20


Ir na etimologia da palavra crítica e pensá-la como crise é um clichê, mas qual outra saída se apresenta, se o que ainda mais temos são os clichês sobre a crítica, sobre o papel do crítico, sobre o que o crítico deve pensar, como deve agir, a quem deve elogiar ou não elogiar? Se o que mais temos são as crises contínuas da crítica por toda parte?

Presunções críticas

março de 2018

Edição: 19


Li, certa vez, que criticar é por em crise.  Na época isso fez bastante sentido pra mim. Na verdade, o sentido não me pareceu algo a ser questionado, afinal eu era apenas uma estudante de letras, e o que pode uma estudante de letras contra as máximas dos teóricos europeus?

MEDITAÇÕES CENACULARES

novembro de 2017

Edição: 18


Sobre o texto “Matheus Nachtergaele, a sua peça é triste e necessária!”, de Cristina Leifer, no site Cenáculo Núcleo de Estudos Teatrais.

ACHAQUES & QUIZILAS

outubro de 2017

Edição: 17


Da crítica de Fernando Barcerllos sobre Dança Doente publicada no Horizonte da Cena.

A RAZÃO DA CRÍTICA PURA DE BAR

setembro de 2017

Edição: 16


De todas as formas da crítica, a de bar é a mais ancestral e recorrente entre os mortais. Mas não é porque aparece quase sempre espontaneamente, despretensiosa e de viés que carecerá de uma rigorosa metodologia própria.

E AGORA?

agosto de 2017

Edição:


http://www.agoracriticateatral.com.br/home A Revista AGORA / Crítica Teatral nasce em 2015, resultado de uma oficina de Crítica Teatral realizada pelo Goethe Institut de Porto Alegre com participação de Jürgen Berger. Seis…

ECOLOGIA POR UMA CRÍTICA SOLIDÁRIA

julho de 2017

Edição: 14


Uma coisa é confrontar e questionar modos diferenciados de fazer, outra coisa é achar que o próprio modo de fazer deve ser imposto por ser o mais adequado e verdadeiro.

Portal pro agora

junho de 2017

Edição: 13


Ao que parece, um cenário deserto de crítica, no qual a mesma é exaltada em teoria, porém pessoalizada na prática, não é uma particularidade de Salvador. Assim como não são infundadas as suspeitas lançadas pelos artistas àqueles que se põem a criticar; afinal, muitos críticos ainda estão mais preocupados em (des)qualificar uma obra a partir das verdades que sustentam seus corpos cansados que levantar questões, construir pontes ou iluminar bordas.

O Ritmo do Nada

maio de 2017

Edição: 12


Há um tipo de escrita que se pretende inclusiva e abrangente, mas se esquiva das questões mais complexas quando recorre justamente a estruturas pré-moldadas. Não são as justaposições de preposições, nem as metralhadoras de travessões, muito menos o artigo X, que fazem um texto justo, honesto, responsável e relevante.

Tradicionalmente experimental ou palimpsesto crítico

abril de 2017

Edição: 11


Tradicionalmente experimental ou palimpsesto crítico: uma leitura de excertos de um texto de Prisca Augustoni sobre performance de Ricardo Aleixo.

O Caso Wagner

março de 2017

Edição: 10


A partir da coluna Martin Gonçalves, do site Feminino e Além.
As coisas do mundo estão uma loucura e é quase um problema, frente à urgência geral, ainda ter de escrever sobre Henrique Wagner.

O bons jovens perdidos em outros tempos

novembro de 2016

Edição: 9


A partir da crítica Major Oliveira: nossos bons velhinhos e o tempo que vivemos, de Alex Simões. Revista BARRIL, Ed.08/2016

Páginas: 12
2018 | Revista Barril - ISSN 2526-8872 - Todos os direitos reservados.