Cênicas


Terças Negras, 16 de agosto, Maloquêro, Teatro Vila Velha

julho de 2016

Edição: 6


Lembro da primeira vez que vi Jhoilson de Oliveira. Escola de Teatro, talvez 2008; éramos colegas de turma.

Espectro das Divindades

julho de 2016

Edição: 6


Estava lendo, isso sempre faz o sujeito refletir e lembrar. Então, primeiro me lembrei de Daniel, que o tempo em que passei confinado com ele e com meus oito companheiros foi muito marcante.

UM RIZOMA PARA NINA CODORNA

julho de 2016

Edição: 6


Nina Codorna é uma drag órfã que aprendeu a ser drag com o youtube e não esperem que eu negue o fã que sou dessa consequência de Ru

Sob o manto de Bispo

julho de 2016

Edição: 6


Os versos das velhas cantigas entoadas pelo Bispo chegam primeiro aos ouvidos mais bem posicionados na arena do Vila.

ENTRE O POLÍTICO E O ESTÉTICO

julho de 2016

Edição: 6


As discussões acerca do feminismo vêm se popularizando. O número de obras teatrais/performáticas assumidamente feministas vêm crescendo. Entretanto, todas as tentativas de problematização da misoginia nas artes ainda permanecem num…

O Sentido e o Homem Torto

julho de 2016

Edição: 6


Em 2009, quando eu era um calouro do curso de direção teatral na Escola de Teatro da UFBA, fui ver uma série de performances na Escola de Dança, da mesma universidade.

UM CORPO SAI DE CASA PARA VER UM CORPO EM CASA

junho de 2016

Edição: 5


Crítica impressionisticamente selfie sobre uma experiência contemporânea de ver uma instalação performativa numa Casa Chamada Barabadá ​ A travessia para assistir/participar da intervenção “Um Corpo em Casa”, projeto coletivo de…

BOLHA

junho de 2016

Edição: 5


Peço perdão aos evoluídos criadores, mas penso que todo artista é um tanto quanto perturbado pelos porquês. Principalmente aqueles que sentiram as consternações em sua passagem por alguma academia artística.

Pensando os [dilemas] desafios do ator artista contemporâneo [diante da descentralizaçãodo drama] em meio a crise de paradigmas [1]

junho de 2016

Edição: 5


Para começar, façamos um acordo básico: pense junto comigo sobre o fato de que o ato criativo não ocorre apartado das mediações entre corpo e ambiente. Isso nos sugere não só uma obviedade sobre a tentativa incansável de nós ocidentais, em não separar mente e corpo ou sujeito e objeto, como também uma mudança no olhar sobre as implicações entre temporalidade e pensamento histórico.

DRAMÁTICAS

junho de 2016

Edição: 5


Rizoma criado a partir da leitura dramática de "A mulher do fundo do mar", no Festival da Nova Dramaturgia de Melanina Acentuada.

LÁPIDES, PRAÇAS E TEATROS

junho de 2016

Edição: 5


Crítica a partir da crítica de Eduarda Uzêda sobre “Egotrip —Ser ou não ser, eis a comédia”, publicada no Jornal A Tarde, dia 13 de Julho de 2016.

“Não andes por aí nua em pelo”:

junho de 2016

Edição: 5


O interior de uma casa burguesa, mais ou menos cem anos atrás. Mobília belle époque, biombos, cortinas e xícaras de porcelana.

Páginas: ...678910...
2018 | Revista Barril - ISSN 2526-8872 - Todos os direitos reservados.