Audiovisual | Crítica


QUEIMEM OS POETAS MALDITOS!

junho de 2018

Edição: 20


Não é porque você se tornou artista que isso te eximirá de ser um completo idiota. Ser artista não te salva de nada: nem das agruras da vida, nem da timidez, nem da falta de consistência política, nem da burrice, nem da canalhice.

O Cinema Sádico de Alexandre Guena

março de 2018

Edição: 19


Tem gente que recebe Deus quando filma, tem gente que filma procurando Deus. Em trocadilho com o que diz o cancioneiro popular, tomo o dito por empréstimo para me ater a uma premissa teológica que creio ser a mais adequada para acomodar o trabalho cinematográfico de Alexandre Guena.

2018 | Revista Barril - ISSN 2526-8872 - Todos os direitos reservados.